Corre Mundo

Uruguai: Colonia del Sacramento – corrida e passeios


No início do ano estive em Colonia del Sacramento e voltei encantada. É quase terrível saber que tanta gente vai a Buenos Aires e não dá pelo menos um pulinho lá – está há uma hora de barco apenas, saindo de Puerto Madero e é patrimônio mundial pela Unesco.

Fui por Montevideu. Você chega ao aeroporto, pega um ônibus em frente e simplesmente vai reto reto reto por uma avenida simpática e sem trânsito até o terminal Tres Cruces. Lá pega um ônibus para Colonia (custa menos de R$ 20) e em duas horas de viagem (com wi-fi free) está lá. Várias empresas fazem o trajeto, com muitos horários.

Quem está em Buenos Aires pode fazer um bate-e-volta. Em 4 horas no máximo você já terá percorrido toda a parte histórica de Colonia. Entretanto, eu não deixaria de dormir lá. A noite tudo fica ainda mais encantador e romântico, perto do pier e das ruas de pedra iluminadas com tochas. Pegue seu tannat e vá ser feliz.

Se vier de Buenos Aires existem 3 empresas de barco: Buquebus, Colonia Express e Seacat (que pertence a Buquebus mas é mais barata). Fui de Colonia Express e recomendo que você NÃO VÁ COM ELA. Um atraso de mais de 6 horas cheio de mentiras pode fazer você perder a viagem se a estadia for curta. Pelo que apurei é a que mais dá problema mesmo.

Bom, mas porque ir a Colonia? Fundada em 1680 pelos portugueses, foi disputada a tapa com os espanhóis. O resultado foi uma cidade de história riquíssima e bastante preservada. O slogan turístico não poderia ser mais apropriado: Encuentro Mágico. Consegue ter uma atmosfera de passado com charme, sem afetação.

O contraste das ruas de pedra e casas antigas com as árvores exuberantes me encantou. Sério. Toda a atmosfera, aliás.

Fiquei no albergue El Viajero e gostei – as pousadas são um pouco caras. Aluguei uma bicicleta lá mesmo: de um lado chega-se a uma prainha de rio tranquila, maior, chamada Ferrando (2km do centro). Se for pelo outro lado em 5km pela Beira-Rio você chega a Real de San Carlos, passando por várias ‘praias’. Real de San Carlos é um antigo enclave espanhol de 1910. Há uma Plaza de Toros desativada e um Sheraton chiquérrimo.

É uma cidade tranquila e romântica – bom para ir acompanhado. Não vou descrever os pontos turísticos pois fiz uma matéria para o Uol e estarão todos lá. Quando sair, publico o link. Mas vão as fotos para vocês entenderem logo abaixo.

 

CORRIDA EM COLONIA

1) Em julho (em 2011 dia 17) há corridas de 10, 20 e 30km. Inscrições aqui. O trajeto é seguindo a Beira-Rio sentido Real de San Carlos e os valores variam de R$ 30 a R$ 70 (grosso modo, divida o dinheiro uruguaio por 10 para saber o valor em real). O chato é que o percurso de ida tem 5km. Então quem faz 30 km tem que ir e voltar 3x. Bem chatinho, mas a paisagem ajuda.


Beira-Rio, trajeto da prova, passa por um monte de ‘praias’

2) Último sábado de janeiro a tradicional corrida noturna de 10km de Real de San Carlos, saindo do estádio no centro e indo pelas praias até a praça dos Toros. Em 2012 foram 350 participantes. Custa cerca de 20 reais e a largada é a 20h. Info: www.sucasports.com

 

3) Em fevereiro (em 2012 dia 5) rola um meio Ironman (1900x90x21) .

Inscrições aqui: www.halfcolonia.com

São 2 voltas de natação, 10 de bike e 4 correndo. O percurso de bike e corrida é na orla, mas seguindo do Real de San Carlos para a cidade e voltando.

 

4) Em abril (em 2012 dia 22) uma corrida de aventura, a Colonia Corre. São 20km ou 10km, passando pelo Centro Histórico, praias e bosques. Brasileiros tem 15% de desconto e os hotéis permitem late check out no fim de semana da prova.

 

5) Corrida de aventura dia 16 de outubro (em 2011), a Eco Aventura Colonia Race. Corrida, trekking, mountain bike, boia cross e orientação somando 70 km. Sai às 10h30 de Puerto Tranquilo. Inscrições custam cerca de 140 reais (por equipe), até o máximo de 25 duplas. Info: www.toroseventosdeportivos.com

 

FOTOS, TAXI, TAXAS

Antes das fotos, um parênteses. Na volta meu namorado sugeriu que por causa do pouco tempo e do peso das malas (bendito tannat…) pegássemos um táxi. Parei um deles e perguntei o preço. Ele disse 300 ‘dinheiros’, no máximo. Era barato (cerca de R$ 30) e a distância considerável. Só que o taxímetro não parava de rodar. Chegou a 300 e não estávamos nem na metade. Comecei a lançar olhares furiosos para o dono da sugestão de pegar um táxi e comecei a imaginar como resolveria a situação quando chegássemos ao aeroporto. E o taxímetro rodando loucamente.

Para piorar lá você não se comunica com o taxista, pois há um vidro separando o banco de trás. E eu la sofrendo horrores, pensando que meus últimos dinheiros morreriam ali. E sequer tinha aquela quantia, aliás (chegou a mais de 1000!!). Fim de viagem, sobraram pouco mais que os 300 combinados.

Cheguei ao aeroporto transtornada esperando ouvir a explicação do motorista – ele puxa uma tabela e vê o preço: 270 ‘dinheiros’, menos do que tinha falado. Remorso eterno. Ele não sabe os absurdos que passaram na minha cabeça achando que era um golpe. Na hora, quis até dar mais dinheiro, mas não tinha mais nada sobrando.

Então, já sabem. Sem ataques de fúria por trás dos vidros dos táxis uruguaios olhando os números voando. O valor certo está em uma tabela misteriosa, e não é caro :)

Ah, fiquem atentos ao tax free também, que lá vale para alimentação. Jantei no restaurante Casa Grande e eles estornaram o valor na hora, no cartão de crédito. Não entendi bem, já que na realidade você tem que pedir uma nota específica no restaurante e apresentar no aeroporto de Montevideu ou no porto de Colonia para pegar o valor do imposto de volta. Vale para compras de mais de 60 dólares em couro, alimento, malha, bebida ou artesanato do país.

 

 


Este é o carro em frente ao aquário



 


Twitter Siga o Corremundo pelo Twitter Facebook Curta nossa página no Facebook


  • 18 Comentários

  • Eu me apaixonei por Colonia e também acho que passar uma noite lá é a melhor opção. À noite a cidade é ainda mais linda! ;)

  • Luis Espinosa says:

    10/01/2012

    Gracias por la nota!!!
    Vivo en Colonia del Sacramento y los problemas del viaje y los precios caros son como en toda ciudad turística; hay lugares muy caros y otros más baratos. Si los alojamientos son caros, pero la experiencia vale la pena, y lo fundamental es la seguridad que hay en la ciudad. Vivir en una ciudad así es maravilloso. De nuevo gracias!!! Abrazo amigos. Luis

    • Marina says:

      10/01/2012

      Eu adoraria morar em Colonia! Espero voltar em breve.

  • Sandro says:

    16/05/2012

    Daqui a 20 dias estarei no uruguai e certamente vou passar um dia em colonia

  • Sandro says:

    16/05/2012

    como funciona o aluguel dessas bicicletas elétricas

    • Marina says:

      16/05/2012

      As que eu aluguei não eram elétricas, eram normais, e foi no próprio albergue (melhor para barganhar horários mais flexíveis de devolução). Na rua do centro “normal” que desemboca no centro histórico tem várias lojas de aluguel de bikes, motos, aqueles carrinhos de golfe… Se não fosse alugar no albergue eu pegaria na Thrifty locadora . Eles tinham bikes, scooter, quadriciclos, kart…. As distãncias não são grandes e nenhuma subida consideráve, então é bem tranquilo de bike. E 0 trânsito!

      • Sandro says:

        31/05/2012

        Valeu Marina, se tiver mais dicas sobre Montevideo e Punta ficarei entre os dias 8 e 18 de junho.

        • Marina says:

          01/06/2012

          Oi Sandro. Eu não deixaria de conhecer Jose Ignacio se estivesse em Punta, uma praia mais tranquila e sem tanta badalação, mas não sei se é o que você procura.

  • Tatiana Guidio says:

    09/10/2012

    Mas dá pra andar tudo por lá a pé? Ou vale a pena alugar um desses carrinhos?
    (bicicleta não sei andar bem…)
    Estou indo pra lá em outubro, passar o o “day tour” em Colonia numa segunda-feira…

    • Marina says:

      09/10/2012

      O centrinho histórico da pra fazer a pé sim, é bem pequeno, mas as ‘praias’ são meio distantes, Tatiana. Mas se for alugar pode ser pouco tempo, como uma ou duas horas só

  • Tatiana Guidio says:

    10/10/2012

    Obrigada! Vou dar uma olhada nos carrinhos e distâncias quando chegar lá… preciso ainda decidir se volto 16h30 ou 21h30!! hehe

  • Nadielly says:

    19/10/2013

    oiii vc é mto corajosa,é das minhas lendo seu carnaval em ouro preto eu me vi em vc,tbém não sou mto aventureira,e gosto de gastar pouco,já andei olhando na net o carnaval de lá é legal.

  • Nadielly says:

    19/10/2013

    desculpa escrevi errado.Eu sou mto de aventuras,não tem medo de viajar só, só que meus Pais não aceito a idéia,nem vergonha de perguntar,só não viajo mais pq minhas amizades são muito indispostas, tudo encontra o perigo o defeito,uma dificuldade,não sabe pesquisar promoções,então axa que tudo é mto caro.`Pior é que não é(Jeito de Falar)Gosto muito de olhar preços de hospedagens e passagens,é pressionante como agente encontra preços bons .Já deve ter ido em Recife-Olinda né?Lá é encantador.

  • Homero says:

    23/12/2013

    Olá.

    Estou no Brasil e busco informações a respeito da legislação a respeito de bicicletas elétricas no Uruguai.

    Sabem informar se a circulação é liberada? Se tem parâmetros?

    Abraços e agradeço desde já.

  • maria lucia dip says:

    15/02/2014

    estamos indo em 5 pax para montevideo,qual a forma melhor para ir na colonia do sacramento?

    • Marina says:

      17/02/2014

      Eu fui de ônibus e foi extremamente fácil e rápido, pois partem em vários horários do terminal. Mas dependendo do preço vocês podem alugar um carro também – é uma estrada tranquila, com pouquíssimo trânsito.

  • Deixe um comentário