Corre Mundo

Passeios em Chicago – o que fazer na Windy City


 

Tirou uns dias para passear na terra do Al Capone? Algumas dicas:

A arquitetura de Chicago é espetacular e merece um capítulo à parte. O Instituto de Arte, na Michigan Avenue, é um bom começo. Quase em frente fica a Architecture Foundation, que promove passeios guiados pela Windy City. Logo na entrada fica uma lousa com os próximos tours agendados. A lojinha também é de matar, cheia de artigos e livros relacionados ao tema. Um pouquinho caro.

Eles também agendam os passeios de barco chamados Architecture Cruises, que custam cerca de de 30 dólares. O guia conta toda a história da cidade reconstruida após o incêndio de 1871. Eu não tive tempo para fazer. Uma pena.

Só compre o City Pass – aquele cartão-curinga para entrar em museus e monumentos – se você tiver dias e interesse suficientes para ver coisas como Aquário, Field Museum (Museu de História Natural), Planetário ou o Museu da Ciência. São todos bem legais, mas em três dias na cidade eu priorizei outras coisas. Ele vale por 9 dias e também dá direito ao Hancock Center ou à torre Willis (ex-Sears), mas não é necessário, pois dá para subir o Hancock de graça. Ele é mais baixo que a Willis mas oferece uma vista mais bonita. Além disso, você não paga para ir ao restaurante. Dica: a vista mais bonita está no banheiro feminino.

 

O Chicago Trolley é o famoso ônibus-sobe-desce-de-dois-andares. Passa pela maior parte dos pontos turísticos e custa 26 dólares.

Para se locomover de ônibus (que é muito fácil) compre o Visitor Pass: pode ser de 1, 3 ou 7 dias. Compensa bastante.

Para entender Chicago: A Madison Street corta no sentido leste-oeste e a State Street norte-sul. Assim, as paralelas da Madison recebem um W (west, oeste) ou E (east, leste) e as paralelas à Street tem a designação N (norte) ou S (sul).

Eu fiquei no albergue internacional (HI) e, do aeroporto, foi só pegar o trem e descer na estação La Salle (pertinho do Grant Park e do Hilton, para quem ficar lá). Na volta, a estação do aeroporto é O’Hare. Aliás, este albergue é muito bom e limpo.

Lembrete: Descendo na estação Lake estão as lojas mais “compráveis” como H&M, Macy’s, Sears, Forever 21. Para compras megasuper sofisticadas a pedida é a Magnificent Mile (indo de ônibus por qualquer linha que siga pela Michigan Avenue – parte norte). E, mais distante, no distrito de Aurora, você encontra um Premium Outlet com marcas e preços ótimos. Do centro até lá são 45 minutos.

 

 

Comidinhas

Cheesecake Factory – embaixo do Hancock Center. Cheesecake gigantesco até para mim, que sou capaz de comer o triplo do meu peso em doces.

Deep-dish pizza. É uma torta típica de Chicago, mas eles chamam de pizza. Vale pela experimentação, mas não chega a ser gostosa.

Tem um Ghirardelli ao lado da Water Tower com sorvetes deliciosos. Segredo: toda vez que você entra na loja, ganha um chocolatinho. E posso assegurar que se você entrar duas ou três vezes seguidas a menina nem vai ligar – e vai te entupir de chocolate de alta qualidade. Não que eu tenha feito uma coisa dessas…

Amantes de Hershey’s encontram uma loja tentadora na Michigan Avenue também (perto da Water Tower). Quem tem paladar mais sofisticado não pode ir embora sem passar pela Vosges Haut Chocolat e fazer as mais loucas e lindas experimentações com cacau. Fica também na Michigan Av.

 

Outros passeios – Bike em Chicago

O Grant Park é lindo. De um lado, ao longe, estão Museum Park (Aquário e Field Museum) e do outro a Art Gallery, as torres Willis e Hancock e o Navy Pier – que eu achei bem turistão e sem graça, cheio de lojinhas e restaurantes. Dá para sair de alguns passeios de barco por lá. Em alguns meses há queima de fogos.

O Millenium Park é uma extensão do Grant Park e lá tem o feijão gigante feito em aço inoxidável (veja de dia e à noite, são experiências diferentes). O nome correto da obra é Cloud Gate.

Aluguei uma bike no Millennium Park e passei por todas as “praias” até chegar ao distrito de Evanston, onde fica a Northwestern University e um templo Bahai lindo. Custou 35 dólares o dia. O único detalhe foi o freio da dita-cuja, que funcionava pedalando para trás. Eu tenho certa dificuldade até com bicicletas normais, então quase ser atropelada pelo bondinho histórico foi pouco. Entrei em alguns postes e voltei bem roxa para casa.

Se quiser fazer passeios programados sugiro Bobbys bike e Bike and Roll: passeios de três horas por 35 dólares, já inclusos bike e capacete. É bem padrão, e se for seu caso, vá em frente. A maioria parte do Millenium Park, como o também ótimo McDonalds Cycle Center, que oferece até chuveiros!

Como no inverno faz um frio de chorar, o povo aproveita bem o verão e há feirinhas deliciosas nos parques da cidade, como a Green City Market, com os próprios produtores rurais. Eles compram as frutas e guloseimas e já fazem um piquenique por lá mesmo. Com música e tudo mais. O Lincoln Park é ótimo para isso.

 

 

Veja as fotos e descubra por que visitar Chicago:

 

Voltei a Chicago em 2012 e posso confirmar: as bicicletas estão com tudo por la!

 

 

A escultura interativa em formato de feijão

Green City Market, aproveite antes de o inverno chegar

Pelas “praias” de Chicago até Evanston

Templo Bahai em Evanston

Chegada da Maratona de Chicago – uma das 5 Majors, junto com Londres, NY, Berlim e Paris


Twitter Siga o Corremundo pelo Twitter Facebook Curta nossa página no Facebook


  • 14 Comentários

  • Jussara says:

    03/09/2009

    Não vou a Chicago.. aliás, pelas dicas parece um lugar que valha visitar..

    Mas lendo suas dicas, não resisti.. Cheesecake Factory!!! Esse foi o lugar mais perfeito que encontrei em minha ida aos EUA há 3 meses… Em LA e San Francisco, sempre que dava, era lá que eu comia… Salada, sanduíche, salmão, e, claro, o gigantesco cheesecake!! E tudo num preço maravilhoso!!!

    Essa dica é preciosa!!!

  • Carlos says:

    03/09/2009

    Oi Marina!
    Parabéns menina!

    Pelo passeio que com certeza foi sensacional!

    E pelo blog que ficou excelente! Maravilhoso! Simples, prático e bem elucidativo! Parece que ao ler, a gente se arremete até o lugar…que deve ser muito lindo!

    Daqui uns anos, quando eu for para os States, eu já sei onde ir!!

    A.do.rei!!

  • Marina, como fotógrafo amador posso dizer, suas fotografias estão demais! Deu ainda mais vontade de conhecer Chicago.

    Um beijo,
    Bruno

  • Katia Sales says:

    13/03/2011

    Adorei suas dicas, estava com viagem programada para São Francisco, devido aos terremotos no Pacífico fiquei assustada, mudei o roteiro e decidi ir a Chicado, suas digas irão ser muito valiosas para mim e meu marido.
    grata

  • FELIPE says:

    14/04/2011

    MINHA ESCALA EM CHICAGO É DE 8 HORAS.
    O QUE POSSO FAZER, OU CONHECER COM ESSE HORARIO.
    GRATO
    FELIPE

  • henrique says:

    26/04/2011

    Felipe, pegue o trem no aeroporto e vá até downtowm, o parque onde tem a escultura do feijão é magnifico. Vc pode passear por ali, almoçar e depois retornar ao aeroporto de trem ( 40 minutos). Se tiver tempo tem a Macys pra fazer umas comprinhas..

  • Luiza Meira says:

    14/02/2012

    Adorei suas dicas.Vou em maio para Chicago e estou preoculpada com o clima.

  • Vou a trabalho para chicago em Maio devo ficar mais 3 dias livres lá, adorei suas dicas.

    Vou ficar em Evanston, tem mais alguma dica da cidade

  • Camila says:

    18/11/2012

    Oi, gostaria de saber onde eu compro o visitor pass?
    obrigada

  • A todos que procuram transporte, transfer e passeio turismo, ai vai a melhor dica a empresa Trans Chicago Limo eh a unica empresa Brasileira em Chicago que fornece os melhores servicos de brasileiro a brasileiro, nao tenha medo de gastar mais com transporte ou ficar perdido pelo aeroporto ou pela cidade, entre em contato com esse empresa e eles iram te ajudar em tudo, e o melhor todos os motoristas e guias turisticos sao brasileiros.

    http://www.transchicagolimo.com
    1(773) 227-0200
    1(312) 316-2409

  • Sabrine says:

    14/11/2013

    Amei o artigo! Nossa sem duvidada Chicago e uma das minhas cidades favoritas. Eu tive uma experiencia maravilha enquanto realizava meu intercambio pela BIR Training Center. Aproveitei cada oportunidade para explorar a cidade :)

  • Deixe um comentário